;

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Eterno enquanto durou...




Um dia....
Deixei de acreditar no amor
Mas ele me mostrou o que
Ninguém poderia mostrar...

Senti algo inexplicável dentro de mim
Uma forma sem resposta...
Tremores em minha voz,
Desejo em minha boca,
Sudorese nas mãos,
Sem folego para falar,
Queimações em meu corpo,
Vontade de chorar sem tristeza
e sem alegria [...]

É inconsciente e consciente
Verdadeiro, igual a maturidade.


"O amor simplesmente, incomoda se não for entendido a sua maturidade".

Nayron Medeiros Soares

1 comentários:

Waydja disse...

Realmente, é tudo um reflexo da alma. O inconsciente é o seu mundo, aonde tudo acontece. Verdadeiro? Aí depende... Quem disse que a maturidade é verdadeira? Quem disse que quem ama é maduro o suficiente para entender? Enfim, o consciente e o inconsciente são vulneráveis, mas o amor não o é... Gostei muito do texto, e tentando definir o indefinível, posso dizer que o amor é loucura, que insensato traz o medo oculto, que transcende a entrega e que acompanha o mais íntimo do ser humano... Para mim, aquele que diz não amar, já ama e com toda a intensidade possível. Àquele que diz não sentir se incomoda por não entender... Mas quem disse que o amor é para descrever ou entender?
^^
Beeeijo