;

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Ponto final do inicial



Ponto que sufoca
Aquele que arrocha, cheio de ardor
Frio e seco como a dor

Ponto a ponto na vida
O ponto que ficou apontado
Precisou vir um dia

Ponto a ponto foi feito
Descrito com o receio
No que creio me foi feito
Sem problema do receio

Eu creio, recreio e não receio.



"Coisas acontecem, ao menos querermos. Não deem as costas, elas aconteceram do mesmo jeito. Não tenha medo, porque eu creio".

Nayron Medeiros Soares

1 comentários:

alyne disse...

querido obrigada por seguir meu humilde bloguinho adorei seus post´s!

bju
alyne

obs:quando passar lá comente ta ?!